Pular para o conteúdo principal

20 março de 1933




Eu quero consagrar à arte toda energia que me impulsiona para relações humanas insatisfatórias, porque a arte me preenche. Na arte eu encontro o absoluto - através dela, eu crio a mim mesma.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fogo - diários não expurgados

Casa de Anaïs em Louveciennes

Louveciennes é como um cofrezinho, esculpido, dourado, com paredes de folhas novas, alamedas, botões, alamedas bem tratadas, nomes de flores sobre gravetos, velhas árvores, hera, visco. Vou enchê-lo com Henry...

Anaïs, maio de 1932