Pular para o conteúdo principal

O quarto das palavras

Louveciennes. Voltei para casa para um amante terno e ardente. Carrego comigo cartas ricas e melancólicas de Henry. Avalanches. Preguei na parede de meu escritório duas grandes páginas de palavras de Henry, escolhidas casualmente e um mapa panorâmico de sua vida, para um romance não-escrito. Cobrirei a parede com palavras. Será "la chambre des mots" (o quarto das palavras).
Fevereiro de 1932.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fogo - diários não expurgados

Casa de Anaïs em Louveciennes

Louveciennes é como um cofrezinho, esculpido, dourado, com paredes de folhas novas, alamedas, botões, alamedas bem tratadas, nomes de flores sobre gravetos, velhas árvores, hera, visco. Vou enchê-lo com Henry...

Anaïs, maio de 1932